terça-feira, 2 de novembro de 2010

PARASITAS DO EVANGELHO

Irmãos em Cristo e amigos do Evangelho
Tenho andado pelas igrejas e visto em rede de televisão uma quantidade infinita de parasitas do evangelho embutidos em Ezequiel 34.1-6.
É incrível amados, a quantidade de homens sentados na plataforma santa, quem mais pode, está lá. Nunca vi a parentela se darem tão bem. É o chefe, o filho, o genro, o enteado, o sobrinho, o tio, o avô, o cunhado e sei lá mais quem. Todos eles PASTORES.
A maioria destes nunca pegaram numa enxada, nunca carregaram uma caixa, nunca se acordaram 5 horas da manhã para trabalhar e a noite ir a faculdade e ainda ter que manter a família, pagar aluguel, faculdade, prestação do carro, luz , água telefone, etc. etc. etc.
Outros já foram ladrões, drogados, bandidos, estelionatários, homicidas, estupradores, etc, etc. Que também na maioria nunca trabalharam, Conheceram a filha do pastor da igreja, se casaram, foi integrado na obra como pastor e continuou na mamata.
Sabem qual é a resposta dada aos irmãos “ abelhudos “ que questionam os altos salários de alguns pastores . Que: “ Digno és o obreiro de seu salário “. Que baita falta de hermenêutica, isto é que é pegar a Bíblia Sagrada e distorcer todo o texto de Lucas 10. 1-7; onde Jesus comissiona os 70 para uma grande obra missionária. Que é ir de casa em casa e de cidade em cidade.
Quando eu falo dos parasitas do evangelho, não falo de pastores integros e dignos.Nem dos missionários que andam pregando, cantando e chorando pelas almas. E nas muitas vezes, mal ganha para o seu sustento e de sua família. E que na maioria das vezes são enviados para lugares, com míseros salários e ainda são incentivados pelos parasitas de que para ser um verdadeiro missionário tem que passar por necessidades.
Quando falo em parasitas,falo quando vejo a maneira como estão proclamando o evangelho da salvação. Não consigo entender, como pessoas que se dizem mensageiros de Deus fazer tão pouca coisa pelas almas perdidas.
Vemos cidades e mais cidades, onde muitas vezes a população não passa de 3, 5, ou 10% de pessoas convertidas e igrejas arrecadando 50 mil, 100 mil e até 1 milhão de reais mensal e não tem um projeto de evangelização local, e ninguém sabe para onde vai o dinheiro da igreja. Nem o poder público.
Sabemos as vezes que é para pagar salários, aluguel, e um monte de despesas pessoal de 5 a 10 parasitas que na maioria das vezes são todos parentes. Parasitas estes que se levantam 10 da manhã levam o carro da “ igreja “ ( só está no nome da igreja, pois utilizam eles como se fossem seus ) para a lavação ( e pagam com o dinheiro da igreja ), fiscalizam os irmãozinhos trabalhando nas igrejas como pedreiros e serventes e estes dão glórias a Deus por isto ( não recebem um centavo sequer pelos seus trabalhos ); dão caminhadas pelo centro( mas não levam um panfleto sequer para evangelizar ). Tenho vontade chorar.
Certa vez ouvi da boca de um pastor dizendo que tinha estudado para ser pastor. E ser pastor para ele era profissão, isto 1100h da manhã tomando chimarrão em frente a um mercado. Eu sou pastor por dom ministerial, e antes de tudo fui chamado para o “ Ide de Jesus “. Também estudei teologia, com o meu dinheiro, me aperfeiçoei para melhor servir ao Reino do Senhor e não me servir do Reino. E todas minhas despesas, pago com o salário que recebo de aposentadoria após 30 anos de contribuição.
Mas, de tempos em tempos aparece um projeto na igreja com a finalidade de arrecadar dinheiro para manter missionários no estrangeiro. Que estranho isto. Muitas vezes levantam-se enormes quantias em dinheiro que é encaminhado para outro departamento de outra cidade, mas que nunca se viu prestação de contas e nem para onde foi o dinheiro. O interessante é que dos dízimos arrecadados nada vai para a missão.
Muito estranho mesmo. Temos cidades no Brasil com 5 mil habitantes, e no último senso apareceu apenas 2 evangélicos. E lá. Não há nenhum missionário.
Tenho observado que a igreja em sua maioria não tem em sua folha de pagamento missionários natos, e quando tem, recebem da igreja em média 5 vezes menos que um pastor integrado, isto ainda sem as mordomias destes.
Obreiro digno de seu salário, é aquele que anda pregando o evangelho, a cruz do calvário pelos valados, favelas, casa em casa e aos necessitados. Aos que administram. Apliquem bem o dinheiro do Senhor.
E não muitos destes pastores que não passam de administradores do dinheiro da obra de Deus para os seus interesses próprios, prevaricando e burlando a Palavra de Deus para manter os seus desejos mesquinhos, aproveitando uma lei brasileira vergonhosa que permite lavagem de dinheiro, desvios de dinheiro, enriquecimentos ilícito, isenção de impostos, formação de quadrilhas santas, planos de saúde, aposentadorias milionárias clandestinas, tudo isto e muito mais no meio das igrejas evangélicas do Brasil. E pra tudo isto ser legalizado é dado nomes como: ofertas, dizimos, votos, auxilio saúde pastoral ( plano de saúde ), auxilio jubileu pastoral ( aposentadoria vitalícia ).
ACORDA Brasil Cristão. Jesus está Voltando.